segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Senhorita Murias

Foto roubada do site da Encena
A Senhorita Murias é uma moça, não, não, uma moça não. É uma mulher que tá ficando ainda mais bonita com o passar dos anos. E isso não acontece com todo mundo não.
Ela fez aniversário ontem. A Senhorita Murias é a Dani, uma amiga Atriz que também tive o prazer de conhecer lá na Encena. Pois é a Encena me trouxe alguns prazeres e presentes, e com certeza lá conheci pessoas mui especiais. A Dani é uma dessas pessoas.
Ela é pequena na estatura, mas tem um grande coração. É uma pessoa de grandes causas e gestos, grandes olhos, aliás olhos enormes, que choram. Choram lágrimas imensas e desavergonhadas. É a Dani é uma pessoa que sente, se emociona e não esconde isso de ninguém. Acho bonito esse povo que super mostra as emoções e ela é assim, não banca a durona, é doce, talentosa, charmosa, expressiva, bonita, já disse que ela é bonita.
Dani meu bem, felicidades tá?! E sucesso, e um monte de sonhos, de desafios, de amores, de sorrisos e lágrimas...

Foto Roubada do Blog do Wagner Pereira

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Pior. Ou não

O pior é que nem tá rolando uma tristeza. E sim uma indiferença.
Uma certeza chata, dessas que te apontam o dedo dizendo: “Mas você sabia, sempre soube”.
Às vezes a mania de insistir, perseverar é burrice. É ué.
Quando não se tem absoluta certeza (isso de qualquer coisa), lá do fundo, com todas as forças. Pode não ser verdade. Derrepente não é pra ser.
.
E o pior é que nem tá rolando uma saudade. Talvez a vontade, de um ponto final, bem marcado, visível, tipo esse ●
Deu pra ver não deu? O ● final aí de cima? Então, tipo esse.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

A Ressonância

Fiquei lá com metade do meu corpitcho dentro da máquina barulhenta.
A princípio me senti como em uma daquelas séries americanas, só que não tinha nenhum doutor bonitão. Caí na real.
E em nenhuma série tem toooodo aquele barulho num exame.
Acho eram quatro. Quatro tipos de barulho. Um deles parecia o de uma nave extraterrestre, o outro parecia “música” de balada eletrônica (afê!), tinha um que era como uma metralhadora ou uma britadeira, e o quarto barulho tinha a cara da máquina mas não sei com o que comparar.
E esse rodízio de barulhos durou uns 20 minutos.
Não dava pra cochilar, nem ler ou ouvir música. Tá, tá, quase cochilei. Sim sou do tipo que dorme em qualquer lugar.
O bom da sala em tons de bege era aquele ar condicionado, ai delícia! O ar condicionado mais agradável do mundo inteiro, nem pra mais, nem pra menos.
Aí na saída ganhei um lanchinho e fiquei ouvindo outro barulho, o da chuva, que não demorou pra passar.
Outra delícia o barulho da chuva. E os pingos da chuva.
Os óculos é que não se dão muitos bem com os pingos.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

É Hoje

Isso mesmo, hoje começam os Ensaios Abertos do espetáculo Os Ossos do Barão, comédia de Jorge Andrade. Essa é a nova produção da Cia. de Teatro Encena, que estréia em Janeiro.
Os ensaios abertos serão lá no Espaço Cultural Encena. Apareçam.


Egisto, um imigrante italiano, enriqueceu com o negocio do café. Ele quer o título de nobreza e para isso arma um plano para atrair uma família tradicional paulista à sua casa e assim promover o casamentos entre seus filhos. A isca do plano são os Ossos do Barão!
Comédia primorosa do autor paulista Jorge Andrade.

Ensaios abertos dias: 20, 27 e de Novembro e 04 de Dezembro. As 20h30. Entrada: 1 quilo de alimento não perecível.

O Espaço Cultural Encena está localizado na Rua Sargento Estanislau Custódio, nº 130, Jd. Jussara, Vila Sônia, Cep 05534-030. Fica bem perto do centro de Taboão da Serra e da Avenida Profº Francisco Morato. Entre a Avenida Intercontinental (Taboão) e a Avenida Pirajussara (continuação da Eliseu de Almeida).

Nesse link tem o mapa http://maplink.uol.com.br/v2/mapa.aspx
Quem quiser conhecer um pouquinho mais a história da Encena pode acessar o site http://www.encena.art.br/

É isso estão todos convidadíssimos! Divulguem e prestigiem.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Como assim?!





Fotos Walter Lins
Não falei da estréia olha que louca!!!
É que ainda estou correndo um pouco. Mas enfim foi ótimo! Às vezes acontece um rebú ou outro, e nesse caso o rebú foi na trilha sonora, que aliás o Wagner Pereira encarou e nos deu a maior força. Mas como eu disse foi ótimo.
Casa cheia, pois é o público estava lá. Amigos, parceiros, olheiros. A luz também estava e iluminou geral. O elenco também estava lá é claro, seguro, entregue. A direção também estava e de olho.
E no final das contas rolou aquela alegria de palco, e rolou um orgulho também. E a certeza de que o caminho é esse, arregaçar as mangas e realizar. Coisa que a Encena sabe fazer, e faz.

Sim, sim, tenho mais alguns agradecimentos. Com alguns nomes vou ser repetitiva eu sei, mas o que posso fazer se as pessoas conseguem ajudar ainda mais? Aí vai:
Ao Luiz Domingues e Alexandre João pela ajuda na marcação da luz, a Daniella Murias pela ajuda na bilheteria, a Zulhe Vieira pelo capricho todo, ao Orias Elias pelos "braços e cabeça", ao Walter Lins que registrou o espetáculo (essas fotos são dele) e também ajudou na bilheteria porque ajuda pouca é bobagem, a Adriana Abreuu que até vídeo fez, ao Wagner Pereira que ficou em apuros mas encarou porque é competente, ao Iula que se revelou muito bom com a faca e com o filme PVC e ao talentoso Jefferson Mendes (http://www.casadoilustrador.com/) que está bolando “A Surpresa”.

É isso povo, e o convite continua de pé é claro.
Jingobel em cartaz no Espaço Cultural Encena, de 14/11 a 20/12/09. Em Novembro aos Sábados 21h e em Dezembro aos Sábados 21h e Domingos 19h. Ingressos R$ 5,00
Elenco: Flávia D’Álima, Lídia Sant’Anna e Thânia Rocha
Direção: Ney Rodrigues Figurino: Walter Lins Cenário: Orias Elias
Trilha Sonora: O grupo Sonoplastia: Sandra Flores e Wagner Pereira

Sequestros; cativeiro com uma velha inválida; mulheres solitárias e desesperadas sob a mira de revólver. Tudo isso na noite de Natal.
E eis que ao som de muito Roberto Carlos as personagens estabelecem ao longo do espetáculo, uma relação de amor e ódio, rejeição e amizade. Além de proporcionar boas risadas, decorrentes da situação absurda em que elas se encontram.
Tudo regado a Peru, Tiros, Vinho e ao inevitável “Clima Natalino”.

Para ver cartaz ampliado clique na imagem acima.
Elisa se descobre sozinha em plena noite de natal, quer dizer em companhia de Rosa sua mãe, uma idosa completamente dependente e sem afeto, mas essa não conta. Eis que o inusitado acontece, duas mulheres batem a sua porta a primeira é Vanusa, jovem homosexual orgulhosa da sua opção, porém frustrada e carente. A segunda é Teresa, evangélica fervorosa, fanática e solitária que sai para evangelizar em plena noite de Natal.

Elisa armada com peru, vinho, desespero e um revólver seqüestra as duas.
O cativeiro é o seu apartamento e Rosa a idosa acaba sendo a maior vítima das três.

No decorrer da noite essas mulheres infelizes estabelecem uma relação de amor e ódio, rejeição e amizade além de proporcionar ao público boas risadas decorrentes da situação absurda em que elas se encontram.

O espetáculo revela ao público histórias “trágicas” de forma cômica, uma ironia necessária. Apresenta e discute entre tapas, tiros e beijos temas como solidão, violência doméstica, abandono do idoso, religião, aparência e preconceito.
Tudo regado a vinho e ao inevitável “clima natalino”.
Não recomendado para menores de 14 anos.


O Espaço Cultural Encena está localizado na Rua Sargento Estanislau Custódio, nº 130, Jd. Jussara, Vila Sônia, Cep 05534-030. Fica bem perto do centro de Taboão da Serra e da Avenida Profº Francisco Morato. Entre a Avenida Intercontinental (Taboão) e a Avenida Pirajussara (continuação da Eliseu de Almeida).
Nesse link tem o mapa http://maplink.uol.com.br/v2/mapa.aspx

Quem quiser conhecer um pouquinho mais a história da Encena pode acessar o site http://www.encena.art.br/

É isso estão todos convidadíssimos! Divulguem e prestigiem.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Desaprendendo a nadar

Eles eram cumpridos e multicoloridos.
Tinham volume, balanço, mas não me davam descanso.
Aí tosei mais da metade. Mesmo.
Estão quase curtos. Acho que mais curtos de um lado e menos do outro.
Mas continuam com volume, e com balanço, e ainda são coloridos.

E rola um alívio, mas um alívio.
Por saber que aquele cachecol natural não vai mais super esquentar meu pescoço.
Nem tentar afogar com suor minhas Borboletas. Ao menos por um tempo.

Acho que elas vão desaprender a nadar.
As Borboletas.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Olha o Jingobel aí gente!!!

Está chegando a hora. está batendo na porta.
Nossa estréia será no próximo sábado dia 14/11/09 às 21h.
Produção suada, “corrida”, feita a 4 mãos e contando com apoios potentes. É como o Walter Lins escreveu no Blog da Encena http://ciadeteatroencena.blogspot.com/: “Teatro é preciso gostar, amar. É muito trabalho, muito sacrifício, muitas repetições. Muita coisa engraçada, muito loucura, muita bobagem... é suor e lágrima!”. É mais ou menos por aí. Quem está fora, mas acompanha de algum jeito acha que é coisa de doido, e é mesmo. Coisa de doido apaixonado, que quer gritar mil coisas para o mundo, e faz isso no palco, ou na rua, em espaços alternativos, em salinhas de teatro do tipo porão e por aí vai. Coisa de doido que quer e precisa “viver” outras vidas, “dar vida” a outras vidas, se influenciar por elas e influenciá-las também. Coisa de doido que quer e do seu jeito tenta mudar o mundo. Tá não inteiro de uma vez só, mas vai tentando e na boa, vai mudando. Doido que só é feliz assim, produzindo, criando, atuando.
.
O corre da produção encaramos Eu e a Lídia, que também está no elenco. Foda heim ?! Acho que nunca convivemos tanto, nunca nos falamos tanto, nunca estivemos tão unidas, e ó, tá valendo a pena amiga. No elenco também temos a Thânia Rocha que chegou com o negócio já rolando, encarou a maior bronca e tá dando conta do recado. Pra dirigir convidamos o Ney Rodrigues, que gentilmente topou. Quem também foi mui gentil foi o Cláudio Simões autor do espetáculo, gentil e acessível.
Na ficha técnica também estão Walter Lins (figurino), Orias Elias (cenário), Wagner Pereira e Sandra Flores (sonoplastia).

Ah! E eu quero registrar aqui no meu bloguete alguns agradecimentos, aí vai:
Ao Orias pela confiança e acesso, ao Walter pela força e confiança também, ao Wagner pelos efeitos sonoros, ao Jaques pela ajuda na confecção do cenário e nos ajustes do Galpão, a Ana pelo figurino em tempo recorde (eita costureira porreta!), ao Cláudio Bovo que sempre dá uma mão, às vezes duas. A Dona Marinalva minha Mãe que por um tempo emprestou sua árvore, que por vezes emprestou sua casa e ainda adoçou nossa vida. A família Sant’Anna são eles: Dona Eva (pela ajuda e ajustes), a Lúcia Sant’Anna (que nos alimentou mui gostosamente) e ao Luis (que nos carregou na nossa saga atrás do móvel perfeito). Ao pessoal da N7E Comunicação Visual pelo apoio com a divulgação (valeu Iula) a Cida Ribeiro pelos discos emprestados e ao David da Silva pela divulgação no blog dele http://barelanchestaboao.blogspot.com/. Acho que não esqueci de ninguém. Ai, ai, ai, tomara que não.
E faço questão de agradecer a esse povo citado aí em cima porque nossa produção não conta com nenhum patrocínio ou qualquer recurso público. Sendo assim sem os apoios citados seria ainda mais suado. Valeu povo todo!!!!

E ó, apareçam e divulguem também é claro.
Obs.: Para ver cartaz ampliado clique na imagem


Cartaz Flávia D'Álima

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Tudo por aqui


- Miopia
- Rinite alérgica
- Asma, fraquinha, mas Asma
- Lesão no Menisco
- Ruptura do ligamento cruzado anterior
- Raiz crespinha a cada três meses
- Inchaço constante no pé direito
- Saliência na região abdominal e em outras regiões também
- Carência na produção de Melanina, principalmente nas pernocas
- Unhas covardes, que descascam e quebram assim que começam a chamar atenção
- Desorganização. Em bolsas, gavetas... No guarda roupas então nem se fala
- Dente despedaçado, coitado!
- Sardas
- Cabeça a mil
- Cabeça nas nuvens
- Cabeça que esquece
- Sono de manhã
- Alguns vícios
- Uma penca de dúvidas
- Certos receios
- Alguns medos
- Não muita paciência, ao menos não ultimamente
- Preguiça
- Aceleração
- Dívidas, vixiiii
- Listas, listas, listas
- Rebeldia
- Saudades
- Um monte de sonhos
- Convicções
- Teimosia
E ufa! Ainda bem que às vezes rola uma Alegria

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Pra animar

Pra melhorar um poquetito essa segunda chata ai vai a dica:
Hoje é dia de Projeta Brasil. É um esquema aí do Cinemark que na data de hoje filmes nacionais são exibidos pela bagatela de R$ 2,00.
Essa história já rola a 10 anos e o grande desafio é conseguir encaixar no roteiro desse dia único os filmes que queremos ver né não?!
Confere lá a programação no site http://www.cinemark.com.br/

Por enquanto

Segunda feira difícil.
Manhã difícil.
Acordar. Bem difícil.
Sair da cama então. Nossa! Difícil.
Como dizia Kátia A Cega: “Não está sendo fácil, não está sendo fácil”.

E quem puder que tenha um bom dia.
E digo mais, já acordei cedo hoje, então que ninguém exija mais nada de mim.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Hoje tem Espetáculo

Lá no Espaço Cultural Encena.
Com a Cia. Lítero Dramática Matins Pena, encenando "Como Nasce um Cabra da Peste" comédia de Altimar Pimentel.
Lotação: 50 lugares Ingresso R$ 5,00
É só chegar.

O Espaço Cultural Encena está localizado na Rua Sargento Estanislau Custódio, nº 130, Jd. Jussara, Vila Sônia, Cep 05534-030. Fica bem perto do centro de Taboão da Serra e da Avenida Profº Francisco Morato. Entre a Avenida Intercontinental (Taboão) e a Avenida Pirajussara (continuação da Eliseu de Almeida).

Nesse link tem o mapa http://maplink.uol.com.br/v2/mapa.aspx

Quem quiser conhecer um pouquinho mais a história da Encena pode acessar o site http://www.encena.art.br/
É isso estão todos convidadíssimos! Divulguem e prestigiem.
Obs.: Para ver a divulgação em tamanho maior, basca clicar em cima da imagem.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Coisas que vi, ouvi, percebi

As capas mais antigas dos discos da Gal são lindas. Mesmo.
Alguns sebos não dão devida atenção aos discos.
O centro da cidade calmo é estranho.
Samba de roda em boteco é o máximo.
É impressionante, mas de uma boca pode sair um jato. Como o dos bombeiros.
Tem moços que não tem noção do que são suas bundas, e saem mostrando elas por aí.
As árvores de natal do momento custam pouco, mas são descartáveis.
Não é nada prático esquecer chaves.
Não é nada bom ser meio ou totalmente surdo.
Produzir ou “encabeçar” qualquer coisa da bastante trabalho. Mesmo.
Nós seres humanos, especialmente mulheres, conseguimos achar ou colocar pêlo em ovo.
Dias de Sol são ótimos, mas cansam um pouco.
Nos dia de Sol brejas geladas são beeeeem mais gostosas.
Uma boa trilha sonora muda ou melhora qualquer situação.
O transporte público humilha a gente.
De uns meses pra cá tenho um respeito imenso pelas sardinhas. As enlatadas.
Cabelos cumpridos nos fazem perder tempo. Lentes de contato também.
Atraso. Um saco. Dor de cabeça também.



 
Era pra ser Ursula. Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino